27
set
07

O novo Fowler

O fenômeno climático conhecido por “El Niño” atingiu a Inglaterra e deixou vítimas fatais na cidade de Reading, mais precisamente no campo do Madejski Stadium. Além de ferir muitos torcedores locais, que tinham esperanças na primeira vitória do seu time sobre o Liverpool, El Niño levou ao óbito os defensores Bikey e Duberre, tamanha a destruição que fez nas colunas dos indivíduos supracitados. 

Itandje – muito inseguro nos cruzamentos, não saía de cima da linha nem se jogassem uma bomba atômica nele. Também, não é para menos: com suas pernas tão finas quanto as de Traoré Eterno, deve ser exímio tirador de bolas em cima da linha Nota: 6,5 

Finnan – só pelos dribles desconcertantes que deu num infeliz do Reading no segundo tempo, já valeu a atuação! Nota: 8 

Carragher – sublime. Nota: 23 

Arbeloa – tava meio deslocado na zaga. Parecia que o campo estava inclinado, fazendo-lhe cair sempre perto da lateral, deixando um buraco no meio. Além disso, não teve nenhuma noção de posicionamento nas cobranças de escanteio. Nota: 5 

Aurélio – visivelmente sem ritmo de jogo, não arriscou muitas idas ao ataque, como faz (e muito bem) de costume. Quem sentiu com isso foi Crouch, que dependia de seus cruzamentos para fazer os gols que lhe dariam moral. Enfim, valeu para readquirir ritmo de jogo. Nota: 7 

Benayoun – fez uma partida excelente, tanto ofensivamente quanto “a nível de” marcação. Sempre se movimentando bastante, aparecendo em todos os setores do campo, o menino Yossi ainda nos presenteou com um golaço digno de Maradona (ops, não foi com a mão…) e Michael Laudrup (só que sem a beleza dinamarquesa…). No quesito marcação, impressiona a vontade com que ele volta para ajudar os companheiros, ao melhor estilo Kuyt. Aliás, Dirk tem feito escola, já que Torres também costuma ir em todas as divididas Nota: 9,5 

Lucas – a enfiada de bola pro Torres logo no comecinho prometia. Mas Lucas esteve nervoso em campo, sem ousar muito. Pesa também o fato de os jogadores não estarem habituados a ele (mesmo problema enfrentado por Leto), o que fazia com que tocassem menos para ele. Passado o nervosismo da estréia, agora é só crescer! Nota: 7 

Sissoko – fez algumas sissokadas, mas que não atrapalharam tanto assim. Nota: 6 

Leto – como eu já havia dito, sofreu um pouco por não jogar sempre, já que os companheiros não jogavam muito a bola pra ele (principalmente no 1º tempo). Na volta do intervalo, Torres caiu pelo lado esquerdo, e todos viram sua habilidade em duas belas tabelas com o dono da noite. Nota: 7,5 

Torres – no primeiro lance do jogo, já levou perigo, após o belo passe de Lucas. Mesmo com o Liverpool sendo pressionado e sem se acertar muito, ainda conseguiu criar, do nada, duas ótimas oportunidades, nas quais quase fez gol. Logo depois do intervalo, já deixou Leto em boa posição para marcar, em uma tabelinha envolvente. Na segunda tabela, ele tratou de finalizar. E que finalização perfeita. Digna de Fowler! Mais estaria por vir: além de infernizar a vida dos defensores com seus dribles, outra finalização perfeita, dessa vez depois do passe de Riise. Outro gol. Já eram 2, e a artilharia isolada e com folga do time na temporada. Mas o melhor estaria por vir. Lançamento de Alonso, ops, Gerrard imitando Alonso, Torres domina, humilha o goleiro, e faz com a maior tranqüilidade do mundo. Hat-trick. Coincidentemente, teve outro camisa 9 que fez seu primeiro hat-trick em um jogo da League Cup… Nota: 99 

Crouch – visivelmente abatido, não rendeu nem 1% do que poderia e é capaz. Aliás, esse é o grande defeito de Crouch: só jogar tudo que sabe quando está motivado. O que é uma pena e deve ser corrigido logo, pois ele é muito importante pra equipe, além de ser um cara super legal. Quem disse isso foi o Diego, que joga WE com ele na concentração. Nota: 5 

Riise – mal entrou, já botou Rolandinho foca de circo no chinelo. Precisa dizer mais?  Nota: 9 

Gerrard – que noite inspirada! Primeiro, um lançamento super-hiper-mega-ultra-maxibianchutti perfeito para o menino Yossi. Pouco depois, outro lançamento supimpa do peru, dessa vez pra Torres. A cada toque na bola, uma jogada mágica. Nota: 10 

Hobbs – queria vê-lo em campo desde o princípio, no lugar do Arbeloa. Acho que o time não levaria os dois gols que levou com ele lá. Nota: sem nota 

Benítez – os dois gols infantis levados pelo time devem ser desconsiderados, já que havia muitos reservas em campo, que nunca treinaram juntos posicionamento em bolas paradas. Fora isso, conseguiu fazer com que o time voltasse do intervalo com outra cara, jogando como no início da temporada, e dando o espetáculo que os torcedores queriam e estavam com saudades. Para completar, soube mesclar bem o time, para ficar competitivo e descansado ao mesmo tempo. Nota: 10 

Melhor em campo: Torres

Segundo melhor em campo: Carragher

Terceiro melhor em campo: Gerrard


0 Responses to “O novo Fowler”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: