10
nov
07

De volta para o futuro

Mesmo entrando no segundo tempo, em sua primeira jogada após um longo tempo de fora, Fernando Torres foi o que se espera dele: o matchwinner que o time não tinha até a temporada passada. Agora, é retomar o caminho das vitórias rumo ao título. 

Reina – fez duas ótimas e difíceis defesas. Além disso, fez um excelente lançamento para o golaço de Torres. Resumindo: fez barba, cabelo e bigode! Nota: 8,5 

Arbeloa – atuando pela segunda vez consecutiva, ambas em sua posição de origem, fez uma boa apresentação novamente, subindo bem ao ataque sempre que se apresentava, para fazer as jogadas pela ponta com o menino Yossi. Nota: 7,5 

Carragher – nessa partida, o dono do time não foi muito exigido. Surpreendentemente, apareceu mais no ataque que na defesa. Nota: 7,5 

Hyypiä – supremo! Soberbo! Sublime! Magistral! Assim foi Sami durante toda a partida, relembrando os melhores momentos de sua gloriosa carreira. Nota: 9 

Aurélio – por pouco não marcou o primeiro gol brasileiro do Liverpool. Fora isso, não esteve muito bem, meio sumido em campo. Nota: 6,5 

Benayoun – devo confessar que esperava outra atuação histórica com mais um hat trick… Mas hoje ele foi mais modesto, dando apenas alguns dribles desconcertantes e fazendo algumas jogadas interessantes pela ponta. Nota: 7 

Gerrard – passou grande parte do jogo pedindo bola pros companheiros, que preferiam dar chutão pra frente pra Crouch se virar. Quando recebia, já estava muito marcado… Ainda assim, se destacou pelo espírito de capitão, de querer vencer o tempo inteiro. Ah, sim, e fez um belo gol de pênalti. Nota: 8 

Mascherano – não foi a melhor escolha pra essa partida de ataque contra defesa por motivos que saltam aos olhos. Ficou sem ter o que fazer na marcação, e sem saber o que fazer com a bola, quando o time necessitava rodá-la para achar espaços no meio da retranca londrina. Nota: 6 

Riise – não esteve tão bem, é verdade, mas sempre pode fazer uma jogada que define uma partida. Tá bom, não foi dessa vez… Nota: 6 

Crouch – o diferencial dele é o emocional. Quando ele está bem emocionalmente, joga bem demais, como no jogo de terça e hoje também. Por pouco não abriu o placar no primeiro tempo, e sofreu o pênalti que originou o segundo gol. Nos resta torcer para que continue feliz da vida! Nota: 8 

Voronin – esse é um jogador deveras perturbador: ele faz a jogada toda muito bem mas, na hora de concluí-la, faz alguma estupidez e perde a bola. Ou, então, chuta vergonhosamente mal. Por isso, quando atua como garçom, servindo os companheiros, ele faz excelentes cruzamentos e assistências, como o passe de letra pro gol de Gerrard na terça. Ele tem que aprender a ser somente garçom, e deixar as finalizações para quem sabe chutar. Hoje, não atuou dessa maneira. Nota: 6 

Torres – o matchwinner que o time tanto precisava mostrou, mais uma vez, que é jogador decisivo quando o jogo mais aperta! Entrou aos 70min e, em sua primeira jogada, aos 80min, deu um drible no defensor e chutou num lugar onde o goleiro não conseguiria pegar, ficando estático, sem reação e com cara de bobo frente à genialidade de Fefe. Em um lance, decidiu o jogo e nos deu a vitória.  Nota: 9,5 

Babel – entrou bem hoje. Não prendeu tanto a bola e ainda foi perigoso. Nota: 7 

Lucas – em pouco tempo, fez muito mais que Mascherano havia feito na partida quase toda. Me arrisco a dizer que, com ele em campo desde o começo, o Liverpool teria um resultado melhor. Nota: 7,5 

Benítez – foi uma das poucas vezes que repetiu a escalação de um jogo para o outro. Creio que foi uma forma de recompensa aos jogadores pela excelente vitória do meio de semana. Fez a coisa certa, tanto na escalação quanto na tática e nas substituições. Assim que o Liverpool tem que jogar sempre: indo pra cima, atacando o jogo inteiro e, se não estiver dando certo, fazer modificações que tornem o time mais incisivo. A única ressalva fica por ter colocado Mascherano, quando Lucas era uma opção muito melhor. Nota: 8 

Melhores em campo: Torres, depois Hyypiä

Pior em campo: Mascherano


3 Responses to “De volta para o futuro”


  1. 1 Diego
    novembro 11, 2007 às 2:11 am

    Mascherano pior em campo? é mto diferente não ter o q fazer e jogar mal.. não comprometeu com a bola no pé – pelo contrário, o seu passe tem melhorado – e ganhou o meio-campo com facilidade para o Liverpool… injusta a nota, injusta a colocação como o pior, na minha opinião. enquanto isso, o Riise foi patético… sou grande fã dele, mas nessa temporada JAR tá sofrível. pior em campo disparado. Aurélio também não foi grande coisa, mas ainda assim melhor que o norueguês…

  2. 2 Pablito Barros
    novembro 13, 2007 às 10:09 pm

    Concordo. Para o time atacar, primeiro precisa-se ter a bola. E com o Mascherano, nós a temos. Excelente roubador de bola. Aliás, repito, com Mascherano, Alonso, Lucas e Sissoko, estamos bem servido nessa posição.
    Inté!

  3. 3 fowler9
    novembro 29, 2007 às 2:31 am

    verdade… muito útil o cara roubador de bola num jogo que a posse foi infinitamente maior para o Liverpool…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: